.as minhas fotos

.links

.pesquisar

 

.o mesmo eu

a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Quarta-feira, 2 de Novembro de 2005

Espelho

Quem sou eu?
Sou aquela que limpa os esgotos e disfarça o aroma com um perfume que inala flores?

Quem sou eu?
A mulher que no leito mente ao próprio amor fingindo que ama?

Quem sou eu?
A mulher que chora porque não ora?

Quem sou eu?
A amiga que ri e que chora na hora inversa no momento e na hora?

Quem sou eu?

Uma flor?

Um espinho?

Uma dor?

Mas…

Quem fui eu?


escrito por A.fe às 18:41

link do post | não sejas tímido | favorito

39 comentários:
De Anónimo a 4 de Novembro de 2005 às 12:43
Gostei de te ler.O poema é lindo! "Nunca saberemos a resposta, a vida é feita de mudanças"
beijo grandeisa
(http://singular.blogs.sapo.pt)
(mailto:singularidade@sapo.pt)


De Anónimo a 4 de Novembro de 2005 às 12:27
boa pergunta! quem sou eu e quem fui eu! uma pergunta intrigante que nos assalta com frequência :)adesenhar
(http://adesenhar.blogspot.com)
(mailto:hvarod@gmail.com)


De Anónimo a 4 de Novembro de 2005 às 02:44
É uma pergunta que todos pomos a nós próprios. :)
Gostei muito do poema anteior, também!
Fica um beijo grande para ti e a promessa de voltar mais vezes, agora que tenho mais tempo (hurra!)

FataMorgana
(http://fatamorgana.romanesca.com/blogger.html)
(mailto:backinavalon@yahoo.com)


De Anónimo a 3 de Novembro de 2005 às 14:42
Ana

Belíssimo poema...

Espelho que nos diz que somos um anfiteatro de mistérios.

BeijinhosBetty Branco Martins
(http://bettybrmartins.blogspot.com)
(mailto:betty_martins@net.novis.pt)


De Anónimo a 3 de Novembro de 2005 às 10:17
Ana,
Da maneira como terminas este poema, mais um bom poema, deixas que se revele que o espelho foi redentor. Ao perguntares «quem fui» estás já a descartar todas as propostas do que foste(no poema). É o que eu penso, numa brevíssima análise de amigo. Continua...

jtparreira
</a>
(mailto:jtparreira@hotmail.com)


De Anónimo a 3 de Novembro de 2005 às 03:31
Que lindo! E como mexe esse pensar, como pode tranformar. BeijosVivis
(http://fazendamarmelo.blospot.com)
(mailto:virlened@yahoo.com.br)


De Anónimo a 2 de Novembro de 2005 às 23:34
Então o espelho não te disse que eras uma flôr?
Não?
Então deita-o fora e compra um novo.
(fala com a Branca de Neve que ela parece que consegue uns descontos)

Obrigado pela visita.
Aguardas o próximo episódio com ansiedade?
Então toma um Valium ou um Lorenin ou um Lexotan ou outro ansiolítico qualquer.

BeijinhosAntónio
(http://eusoulouco.blogspot.com)
(mailto:a.castilho.dias@clix.pt)


De Anónimo a 2 de Novembro de 2005 às 22:37
geralmente a resposta está no que fomos e naquilo que seremos ;-) beijinhosamcatarino
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 2 de Novembro de 2005 às 19:58
O teu poema mexeu comigo porque avozquenãosecala, parece a voz da minha consciência... Muito bom! BeijoMaria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:msantosilva@sapo.pt)


Comentar post

blogs SAPO
a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.