.as minhas fotos

.links

.pesquisar

 

.o mesmo eu

a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Fazer olhinhos

Segunda-feira, 19 de Setembro de 2005

Não morrerei nunca…


Tragam-me as flores
As abraçarei.
Viverei de cores.

Morrerei?

Tragam-me o sol,
O abraçarei.
Viverei da luz e do calor.

Morrerei?

Tragam-me a água do mundo,
A beberei.
Viverei sem sede.

Morrerei?

E tragam-me também,
A alma da pedra
Que vive no
Pó.

E
O coração do tempo,
Com vida a bulir
No vento.

Mais o amor
Com o seu sabor.
E que Deus me beije.

E do pó!
Em pó…tombada!
A olhar as estrelas
Nunca morrerei.






escrito por A.fe às 10:53

link do post | não sejas tímido | favorito
|

21 comentários:
De Anónimo a 26 de Setembro de 2005 às 08:03
Laurindinha-bem vinda ao meu cantinho
amcatarino-um jinho, grandeana maria
</a>
(mailto:aguassantas11@sapo.pt)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2005 às 01:26
E as palavras também jamais morrerão... ;-)amcatarino
(http://amcatarino.blogspot.com)
(mailto:amcatarino@net.sapo.pt)


De Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 22:52
Muito bonito!Laurindinha
(http://abrigodepastora.blogspot.com/)
(mailto:....@....)


De Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 08:50
Contador de historias, Carlos Afonso
Diogo Ribeiro, Betty Branco martins, Romero, Laranjinha,
Ragazza&Ragazza, Sandra Regina, Ana Luar,Joca,Dreamer,Lipinha, Poemas de amor e dor, Mª do Céu
Estrela e Lina
Assim, todos de repente parece a apresentação para algum evento. que fosse ele de poesia- seria maravilhoso, mas não é verdade.
mas somente é para lhes mostrar a todos que aqui quiseram mais uma vez escrever os seus comentários e tambem para aqueles que passam e so sentem e nada dizem, são os meus fantasmas-hihihi e com isto (que chata) para dizer que fico muito feliz por terem cá vindo, voltem sempre.ana maria
(http://amcosta.blogs.sapo.pt)
(mailto:aguassantas11@sapo.pt)


De Anónimo a 21 de Setembro de 2005 às 22:42
E eu vim cá sentir-te e ó como te senti!
Beijolina
(http://entreotudoeonada.blogspot.com)
(mailto:lina.cf@gmail.com)


De Anónimo a 21 de Setembro de 2005 às 19:39
Lindo poema! Na verdade, acredito que só morremos quando somos esquecidos... Enquanto permanecer no coração de alguém, continuarei viva... BeijoEstrela
(http://osmanos.blogs.sapo.pt)
(mailto:madalena_ruiva@hotmail.com)


De Anónimo a 21 de Setembro de 2005 às 13:00
"...E do pó!
Em pó…tombada!
A olhar as estrelas
Nunca morrerei."
Gostei de ler este seu trabalho.
Beijinhos.

Maria do Céu
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 20 de Setembro de 2005 às 22:51
Trago-te um bonito ramo de flores silvestres. Viva a poesia. Obrigado pela visita
Rogério Simões
poemas de amor e dor
(http://poemasdeamoredor.blogs.sapo.pt)
(mailto:romasi@clix.pt)


De Anónimo a 20 de Setembro de 2005 às 16:20
Bonito post..Gostei muito =P..
*** pa tiLipinha
(http://www.angelwhite4.blogs.sapo.pt)
(mailto:lipinha_pnf@hotmail.com)


De Anónimo a 20 de Setembro de 2005 às 14:44
Olá, genial este teu texto, profunda a forma como escreves e descreves, o sentir, é bem mais que uma mera definição e a vida também...
queria-te agradecer as palavras no meu antigo blog, o fugiremos,
um beijo
Pedro, iluvatar, dreamerDreamer
(http://www.transcendenciasavulso.blogspot.com)
(mailto:pedror_Domingos@hotmail.com)


Comentar post

blogs SAPO
a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.