.as minhas fotos

.links

.pesquisar

 

.o mesmo eu

a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Fazer olhinhos

Quinta-feira, 22 de Junho de 2006

Mãe

Afasto a tristeza da face
com o sopro do teu olhar
e a pomba que o vento apanha
afaga a nuvem que pia no meu cabelo.
Por vezes, vejo as flores com rostos e abraço-lhes os cheiros.
Outras vezes
Imagino o sorriso de um peixe,
de uma arvore ou ainda de uma estrela
e, por vezes, quando faço cócegas à lua
ela encolhe-se como eu no_ teu regaço
é nos teus lagos que brinco com os meus vestidos de infância
e das tranças penteio as sombras em horizontes
com pentes de sol.
 
 Ana Mª Costa

escrito por A.fe às 16:55

link do post | não sejas tímido | favorito
|

14 comentários:
De Maria Papoila a 22 de Junho de 2006 às 18:26
Ana Maria:
Um magnífico hino à Mãe Natureza.
Belíssimo!
Beijo


De Betty Branco Martins a 22 de Junho de 2006 às 21:24
Querida Ana

Que dizer da tua poesia, que sempre me toca, tantíssimo.

Tem aromas doces - este teu poema.

(postei hoje- por vezes o tempo é curto e não dá para tudo:)

Beijinhos


De alice a 22 de Junho de 2006 às 21:46
querida ana maria,

espero que estejas bem, amiga

deixei de receber mails da lista... pensei em telefonar-te, mas não quero interromper o teu estudo... vou mandar um poema amanhã de teste... desejo-te um bom são joão

mil beijinhos,

alice


De Francisco Sobreira a 23 de Junho de 2006 às 10:52
Mais um poema inspirado, Ana, em que prestas homenagem à tua mãe e demonstra o amor que tens por ela. Versos simples, mas daquela simplicidade encantadora, que é tão difícil ser alcançada, seja na poesia, seja na prosa. Um jinho.


De Amaral a 23 de Junho de 2006 às 15:00
Como é bom ler um poema como este!...
É como andarmos de mão dada com tudo aquilo que nos cerca. É como acariciarmos a natureza, beijarmos as estrelas e acarinharmos o ar que respiramos...


De Ney Maria Menezes a 24 de Junho de 2006 às 06:21
Olá

Foram poucas as vezes que pude encontrar poemas sobre o tema "mãe" caminhando além da enunciação de sentimentos do autor, vencendo os limites do estritamente pessoal, do "derrame" emotivo; claro está que poesia pede emoção, mas pede outras coisas mais, como originalidade, por exemplo; este é um dos que caminham além... Permita-me tirar uma dúvida, os envios ao grupo Yahoo Brasil, Pórticoliteropoétiko, com a ID Aguassantas, são seus também?
Obrigada por esta boa leitura que me
proporcionou.


De Hélder Durão a 24 de Junho de 2006 às 12:02
Oi Ana Maria!
Obrigado pelo comentário que deixaste no meu blog.
Só hoje pude retribuir.
Gostei muito do teu poema, aiiás, gostar é pouco...ADOREI!!! Está profundo! Não há nada melhor do que termos a nossa mãe ao nosso lado, de preferência, com saúde! Dá gosto viver assim!
Um beijo cheio de admiração pela forma como tão bem escreves poesia.


De Arte por um Canudo a 24 de Junho de 2006 às 19:39
Sempre lindos. BFS.


De Mikas a 25 de Junho de 2006 às 19:46
Olá querida amiga, hoje torcemos por Portugal!


De soaresesilva a 25 de Junho de 2006 às 23:19
Já te tenho dito que gosto muito dos teus poemas e este é extraordinariamente bonito. Eu não sou poeta mas às vezes sou "obrigada" a escrever em-não-prosa porque os sentimentos se expressam melhor desta maneira. Será poesia, não será???


Comentar post

blogs SAPO
a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.