.as minhas fotos

.links

.pesquisar

 

.o mesmo eu

a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Fazer olhinhos

Segunda-feira, 29 de Maio de 2006

Imagino

Sei que as lágrimas não secam
Mas se um dia isso acontecer tento imaginar
quando chorar e
não ter um ombro para me embrulhar
e o tempo - para mim - será um espaço sem momentos
- Imagino
não ter amigos com um lenço branco
verde
amarelo ou sujo
e os rios deixarem de desabafar com o mar
- Imagino
não ter a quem clamar
serei como as pedras que não se dobram
e a humildade, a humildade
nascerá só nas flores
- Imagino
o Amor e as emoções fortes abandonarem o coração
E o pálido forcado - a tourada vermelha
Se um dia isto acontecer - para mim -a poesia murchará na carne
e isso
eu não quero imaginar
Agora - sei que as lágrimas
não secam para que nos possamos unir na dor
no medo
na alegria
e na tristeza
páginas da humanidade.

Ana Mª Costa

escrito por A.fe às 10:20

link do post | não sejas tímido | favorito
|

18 comentários:
De alice a 29 de Maio de 2006 às 10:52
querida ana,

imagino que está linda esta manhã e que vai ter uma semana maravilhosa

;)

um grande beijinho,

alice


De António a 29 de Maio de 2006 às 16:13
Querida Ana Maria!
Um belíssimo poema donde emerge um estado de alma triste e pessimista.
Felizmente é temporário, eu sei!

Obrigado pela tua leitura e comentário aos meus diálogos do Padre e da beata e ao das duas Tias.

Beijinhos


De carlos barros a 30 de Maio de 2006 às 10:48
As lágrimas grande parte das vezes...são..pura e simplesmente.
são como as despedidas não se vêem... mas estão ali entre o coração e a boca...e no focar do nosso olhar.

beijo

se não der incomodo pode ...enviar para a sua lista


De alice a 30 de Maio de 2006 às 12:29
bom dia, ana

imagine um poeta descalço e um ramo de poemas

e sorria...

beijo,

alice


De Francisco Sobreira a 31 de Maio de 2006 às 02:37
Que poema fabuloso, Ana. Se não o melhor dos que tenho lido, um dos melhores que você já fez. Parabéns e um jinho.


De Betty Branco martins a 31 de Maio de 2006 às 02:43
Olá querida Ana Maria

Estou de volta! Pelo menos até Julho.

Obrigada pela visita, (e palavras) na minha ausência.

"Imagino" toda uma verdade escrita.. a tua escrita que eu tanto admiro.

PARABÉNS! Minha amiga.

Beijinhos


De alice a 31 de Maio de 2006 às 09:44
bom dia, ana

ontem e hoje nem um único mail recebi da lista

passa-se alguma coisa?

um beijinho,

alice


De Amaral a 31 de Maio de 2006 às 16:07
Uma poesia dividida por uma certeza e uma dúvida. A tua sensibilidade traz-te estes sinais. Mas todas as lágrimas vão secando, enquanto a solidão fizer parte da realidade humana. Infelizmente, ainda há muita gente no mundo a quem falta um ombro amigo…


De KLATUU o embuçado a 31 de Maio de 2006 às 18:49
Belo poema!

Obrigado, pela visita ao Cronicas da Peste!
Dark kiss.


De KLATUU o embuçado a 31 de Maio de 2006 às 18:50
Belo poema!

Obrigado, pela visita ao Cronicas da Peste!
Dark kiss.


Comentar post

blogs SAPO
a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.