.as minhas fotos

.links

.pesquisar

 

.o mesmo eu

a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.

.Outubro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Fazer olhinhos

Quarta-feira, 7 de Setembro de 2005

Olá Amigos

Talvez não seja inovador colocar poemas de outros poetas no nosso blog, não sei?! Mas talvez devido ao meu ser, este facto, afecta-me no sentido de me considerar pequena no mundo da poesia, por isso, ter ao meu lado alguém tão do meu agrado é uma verdadeira honra para mim.
Obrigado a ti J.T.Parreira

Assim, este poeta escreveu este poema, algures, e está aqui….



A TAREFA DO POETA

O poeta acabou a sua tarefa.
A época não foi de rosas
Nem de sonetos que batem
No coração das amadas
Nem de salmos que são a língua
Instrumental dos anjos.

A tarefa do poeta não é o desenho
De uma harpa no vento
De uma rosa no papel
Irrespirável.

O poeta acabou o seu tempo.
Cansaço dos sonhos que irrigam
O cérebro, com as alegrias
Alguns desencontros? O poeta
Acolhe o fim com as mãos lentas
Da tranquilidade.

O poeta pousou as armas.
Embora o dia continue a subir
Na revolução ardente do sol
Embora a poesia
Continue a nascer, o poeta
Cansado, pousou as palavras.

J.T.Parreira

escrito por A.fe às 13:08

link do post | não sejas tímido | favorito
|

6 comentários:
De Anónimo a 8 de Setembro de 2005 às 10:13
Antonio muito te poderia dizer e disso fazer um texto e postar, mas a minha consideração pelos amigos são valores humanos que ainda fazem parte das minhas caracteristicas, como ser. por isso, amigo, valorizo muito o teu comentário em que és franco, mas tambem onde mostras que és meu amigo.obgda
abraço forteana maria
</a>
(mailto:aguassantas11@sapo.pt)


De Anónimo a 8 de Setembro de 2005 às 09:37
Ana Maria:
Acho que sabes: de uma forma geral, não gosto de poesia.
E, normalmente, não comento poemas.
Portanto, seria lógico que não estivesse aqui a escrever.
Mas a consideração que tu me mereces quasi me obriga a dizer alguma coisa.
Acho que tens aqui bons (talvez razoáveis) poesias num estilo que é bem teu.
E isso já é um mérito.
Continua!

Há blogs que colocam muitos poemas de outros poetas, normalmente consagrados.
Pessoalmente, não gosto muito disso. Só como excepção.
Mas é um critério tão respeitável como qualquer outro.
Não não gostar...não lê!

BeijinhosAntónio
(http://eusoulouco.blogspot.com)
(mailto:a.castilho.dias@clix.pt)


De Anónimo a 8 de Setembro de 2005 às 08:10
Diogo obrigada pela sua opiniao e concordo planamente consigo, o poema é bom.
fique bemana maria
</a>
(mailto:aguassantas11@sapo.pt)


De Anónimo a 7 de Setembro de 2005 às 20:37
Não te preocupes com isso ser inovador ou não; nem tudo o que inova é bom, ou melhor do que se fazia antes. É um bom poema, e obrigado por o partilhares connosco :)

Abraços :)Diogo Ribeiro
(http://omeunada.blogspot.com)
(mailto:zephyrium@hotmail.com)


De Anónimo a 7 de Setembro de 2005 às 15:06
Amigo, está a lançar um desafio e eu gosto, mas não sei o que fazer.hihihi
coloquei o seu site nos meus favoritos e a seu tempo irei considerar a sua ideia.
fique bemana maria
</a>
(mailto:aguassantas11@sapo.pt)


De Anónimo a 7 de Setembro de 2005 às 14:55
Agradeço o pedido que me fez para que mantivesse a a chama do Fogo Fátuo "acesa". Acredito que haja muitos que me poderiam ter lido, mas que não conseguiram descobrir-me entre milhões. Somos, de facto, muitos. Se quiser, faça por usar algum (ns) dos meus textos no seu blog. Não me cale. Mais tarde verei se o etéreo mundo da blogoesfera merece assim tanto do meu tempo.
Um Abraço,
Joaquim Eduardo OliveiraJEO
(http://www.fogo-fatuo.blogspot.com)
(mailto:joliveira@prodiario.pt)


Comentar post

blogs SAPO
a diferença em mim vista por vós, é a mesma por mim vista em vós.